quinta-feira, 9 de maio de 2019

Como ser um bom jogador de Reversi?




Não há receita de bolo nisso, nem quero ser presunçoso ao ponto de achar que tenho essa resposta de pronto a todas as pessoas, mas posso resumidamente numerar algumas características e hábitos que podem facilitar a coisa. Porém, no fundo é bem provável que isso tudo dependa mais de duas coisas fundamentais: Personalidade e Inteligência.


Vamos lá?


1 – Goste do jogo

Sim, se você não gostar do jogo com certeza sucumbirá nas primeiras dificuldades de aprendizado, pois descobrirá que esse jogo de início, pode parecer mais desafiador do que prazeroso, necessariamente.


2 – Jogue

Não adianta só gostar, tem que jogar também! Oras, se ser bom em futebol, por exemplo, fosse tão somente sentar no sofá em um dia de domingo e gritar: “Vai Corinthians!”, tava bom demais, não é? (caso seja corinthiano, graças ao Universo eu não sou), caso fosse assim talvez jogadores de futebol profissionais apenas precisassem jogar umas partidas de futebol de PS do Xbox que tava bom demais. Por isso, se quiser ser um bom jogador de Reversi, jogue! E de futebol também.


3 – Assista partidas

Bom, a essa altura você já descobriu que gosta do jogo e decerto não perdeu tempo e começou a jogar igual um louco, firmeza até aqui meu camarada, (ou minha camarona) mas... Gostar por gostar e jogar por jogar eu poderia te listar uma lista infindável de pessoas que gostam de um monte de coisas e fazem um monte de coisas, e que estão satisfeitos com isso, mas sempre estão e sempre estarão na média de “Mais ou menos, mais ou menos...”, não basta só gostar e jogar, se você não começar a observar e absorver jogadas, lances, técnicas, habilidades e estratégias de jogadores mais avançados, você decairá dentro dos seus próprios conceitos, ficará preso dentro das suas próprias dificuldades e, bem provavelmente, não se desenvolverá nunca! (e se sim, com uns 20 anos de atraso). Lembram do filme Náufrago? Depois de um tempão preso naquela ilha, o inspetor da Federal Express ficou preso em seus próprios pensamentos, ficou preso em seus próprios conceitos, ficou doidão! Cuidado para não começarem a chamar seus tabuleiros de Wilson! Viu? Então, vá assistir jogos de jogadores mais avançados, faz bem.


4 – Analise Partidas

Tá, até aqui você descobriu que gosta do jogo, descobriu que está jogando sem parar, e descobriu que quando para é justamente para assistir partidas de outros jogadores em geral, além de beber água, se alimentar, trabalhar e dormir; perfeito. E agora? Bom, você pode tentar ir melhorando aos poucos, executando jogadas novas ao poucos, ou você pode acelerar o processo aprendendo a mexer em algum software que cole transcrições, como o WZebra, por exemplo. Aprenda a mexer em algum programa e utilize-o para treinar, se aperfeiçoar, isso fará você dar um grande passo rumo ao conhecimento pleno do jogo. Não encare os programas de Reversi como se pode encarar máquinas brutas que auxiliam o homem há décadas, um programa de Reversi não é uma escavadeira, pois ao contrário da primeira, você poderá copiar o estilo e repeti-lo da sua forma, já do contrário, eu nunca vi um ser humano erguer 10 toneladas de terra com as mãos, por mais que observe uma escavadeira trabalhar.


5 – Enfrente os Melhores

A não ser que você seja extremamente narcisista, assuma que há muito que aprender e vá sem medo para cima dos melhores jogadores, mesmo que leve umas 1000 surras, sairá de lá com algum aprendizado e, se sentirá melhor depois, seja como jogador, seja como ser humano. Jogar contra os melhores é uma experiência incrível, é uma oportunidade de colocar à prova tudo que aprendeu até aqui, de (se for o caso) puxar conversar e perguntar onde errou, onde precisa melhorar e de como treinar.

De repente você até mesmo equilibra a partida, ou perde de pouco, tudo vira aprendizado. Mas seja humilde se descobrir se tudo que sabe, não é 10% do que o seu oponente sabe, isso faz parte também, o negócio é continuar treinando e, esperar o dia em que até esse seu adversário tão poderoso, poderá balançar com as suas jogadas, e nossa... Isso será quase como um rito de passagem! (Sim, eu já tive o meu).


6 – Tenha a Mente Aberta, Jogue Contra Todos

Ironicamente jogar somente contra jogadores bons, poderá fazer você criar vícios de jogadas terríveis, já fiz uma postagem no meu blog explicando sobre isso, mas resumidamente se trata, por exemplo, de todos os jogadores de ponta apenas utilizarem as mesmas aberturas, uma vez que talvez as aberturas xots poderiam fornecer os mesmos bons resultados das aberturas normais. Pois bem, sempre quando um jogador bom é zerado (perde logo no início sem nenhuma peça no tabuleiro, é desse zeramento que estou falando) nem precisa se dar ao trabalho de perguntar quem era o “temível” jogador que fez isso com ele, a resposta quase sempre será: Um jogador iniciante. Jogadores iniciantes quase nunca sabem aberturas, sejam as padrões ou sejam as xots, por isso eles seguem apenas o que pensam ser o certo no momento, ou seja, são quase imprevisíveis. Se você não jogar contra jogadores assim, você nunca irá desenvolver melhor a sua intuição, a sua criatividade e apuramento tático e estratégico, você precisa aprender a jogar tanto contra jogadores de ponta que têm títulos e que vá em competições oficiais e até mesmo em mundiais, tanto quanto terá que aprender a jogar contra quem está jogando esse jogo pela terceira vez na vida, todos eles têm algo importante para lhe ensinar, saiba e decore isso, é importante.


7 – Dê tempo ao tempo

E por último, tenha em mente que cada pessoa é diferente da outra de várias maneiras, inclusive no que tange habilidades de aprendizado, personalidade e nível de inteligência. Para alguns o que pode significar apenas 2 anos para estar bom, outros podem demorar 4 ano ou até mesmo um pouco mais, meses para ser um jogador de ponta (tipo um Maxilliano, Takemoto ou Takanashi) é só legado aos gênios, os normais precisam de mais tempo e treino para isso, inclusive os três da lista entre parênteses acima, precisaram de anos também. Fique calmo e vá no seu ritmo, que quando menos esperar, estará lá ganhando de trocentos jogadores que antes eram inalcançáveis para você. Com o tempo você alcança todas as suas joias do infinito, só não vá usá-las sem sabedoria, ok?


É isso ai, meu muito obrigado.

segunda-feira, 22 de abril de 2019

10 Anos



Pois é, lá se vão 10 anos desde o dia em que eu decidi criar esse blog, não imaginava que essa ideia se transformaria em uma odisséia que me levaria tão longe, não pensava que minha imensa vontade de mostrar aos brazucas o quão legal esse jogo é, pudesse trazer para nosso time desde tradutores que passaram do inglês/francês para o português livros de suma importância ao aprendizado do nosso jogo, até pessoas especializadas em organização de eventos e campeonatos de jogos diversos, que agora se dedicam, em certos casos, exclusivamente ao nosso magnífico jogo Othello/Reversi. De certa forma, também nunca pensei que esse hobby (jogar e escrever) fosse um dia me levar à Câmara Municipal de São Paulo para receber uma homenagem, surreal e sem palavras para descrever.


No começo eu pensava em divulgar tudo isso no Orkut, sim... Orkut, não riam... Tô ficando meio antigo já, e entre jogar algumas e cuidar do meu sobrinho, que na época tinha 2 aninhos, a minha vontade por divulgação aumentava, mas foi só depois de vencer um jogador tido como quase imbatível e um dos melhores, se não o melhor, jogador da América Latina na época (não que eu alguma vez tenha concordado com isso, por razões pessoais) eu me senti “aprovado” e autorizado a falar do jogo, me senti “formado” em reversologia e, de agora em diante tinha o aval e a expertise para me chafurdar e explanar tudo sobre esse jogo às pessoas, agora a chama do conhecimento estava comigo, era assim que eu me sentia. E minha ex-namorada me incentivava e aprovava tudo isso, foi jogando com ela que eu tinha a oportunidade na maioria das vezes de passar os conceitos estratégicos em imagens no blog, muitas daquelas partidas foram jogadas com ela, por isso que eu agradeço muito a ela por tudo isso também, pois ela também fez parte disso, e sempre torceu muito por mim. Mas tudo foi uma espécie de brincadeira, onde eu me divertia mostrando vídeos de jogadores famosos jogando, ou ensinando algumas táticas e estratégias que eu já sabia e dominava na época, bem como minha vontade de estudar mais sobre o jogo aumentou, junto com a curiosidade em pesquisar sobre como as outras organizações de Othello ao redor do mundo se comportavam, e passar isso aos brasileiros, que ao meu entender (e isso não mudou muito infelizmente) não se importavam muito com a história e as oficialidades desse jogo, muitos nem sequer sabiam que existia a versão em tabuleiro do jogo que eles jogavam online, no Flyordie, PlayOk , Reversi para Internet do Windows XP ou no Reversi do MSN.

Minha vontade irredutível era e de certa forma ainda é, que todos que jogam esse jogo ao menos saibam que esse jogo, por mais que seja uma brincadeira, um passa-tempo ou uma válvula de escape bem interessante para muitos, ainda assim tem inúmeras aplicabilidades, é uma ferramenta útil em escolas, clínicas, hospitais e tem um grande poder sociabilizador e de transformação mental e comportamental. Lógico, esse conceito se aplica a todos os jogos de tabuleiros, bem como a muitos games. De 2009 para cá, em 2019 muita coisa mudou, temos campeonatos constantes com muitos jogadores, e não mais estamos apenas presos em São Paulo, pois já tivemos torneios em Minas Gerais, Santa Catarina e no nordeste, não demorará a chegarmos ao Rio de Janeiro, talvez ainda esse ano. Tivemos um Campeonato Brasileiro, o de 2016, com aproximadamente 81 participantes! Isso não só foi um marco para história do jogo aqui no Brasil, mas no mundo, um recorde.

Hoje eu divulgo muito mais no Youtube e Facebook, mas jamais esquecerei o pilar e origem de tudo, que é aqui nesse blog, o meu querido Othello Classic. 

Bom, acho que vou ficando por aqui, eu apenas queria comemorar esses 10 anos com uma postagem, esse jogo é maravilhoso e de certa forma, mudou a minha vida, e esse blog foi e ainda é, uma das formas de eu demonstrar isso.

Obrigado a todos vocês que ao acompanharem meu trabalho, aqui ou no Youtube ou Facebook, fizeram isso tudo chegar até esse ponto tão alto em que chegamos.


Até uma próxima.